Páginas

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Distribuição de camisinha nas escolas


O fato é que saiu nos telejornais a notícia de que está sendo colocado nas escolas "máquinas de camisinha". É isso mesmo, sabe aquelas conhecidas máquinas de refrigerante que a gente encontra nos shoppings, cinemas, etc; onde basta inserir uma moeda que ele sai na hora? Pois é, agora inventaram máquinas de camisinha semelhantes a essas e estarão disponíveis para todos os estudantes nas escolas.

O Ministério da Saúde alega que a distribuição de camisinha é questão de saúde pública e que cerca de 40% dos estudantes já têm uma vida sexual ativa, por isso há uma preocupação com a propagação da Aids, outras DST e gravidez indesejada.

A intenção pode até ser boa, mas o que não se divulga é que cada vez mais os adolescentes estão iniciando a vida sexual ativa precocemente.

Muitos usam preservativo somente na primeira vez e depois não usam mais, logo é evidente que a distribuição de preservativos estimula a promiscuidade principalmente entre a juventude por ser esta a fase das descobertas. A adolescência vai dos 10 aos19 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). É a fase da busca de identidade, da esplosão das sensações corporais, do ingresso na vida profissional e de maior risco de uma gravidez não planejada. Cerca de 28 mil meninas entre 10 e 14 anos deram à luz no Brasil em 2003, o que significa que 22% dos quase 668 mil partos foram de adolescentes. Segundo o próprio ministério da saúde, de cada cinco bebês nascidos no país, um é filho de adolescente.

Os especialistas são unânimes em afirmar que o primeiro e mais importante instrumento para previnir o início precoce de uma sexualidade ativa e consequentemente da gravidez na adolescência é a construção de um lar em que haja diálogo e afeto, no qual o adolescente se sinta acolhido, apesar das dificuldades dessa fase. Desde cedo os pais devem conversar com a crianças sem críticas e respeitar suas curiosidades. Isso vai facilitar as conversas no futuro. Quanto mais seguro, amado e respeitado, mais o adolescente irá desenvolver uma boa imagem de si mesmo e do mundo, cuidar melhor de si e saber se defender e se preservar.

E se você é adépto de uma religião que possua uma doutrina com valores éticos e morais, estimule seu filho a praticá-la. As religiões ajudam a desenvolver a responsabilidade.

Caro leitor, espero tê-lo feito refletir um pouco sobre esta questão, vou ficando por aqui, obrigado pela atenção e até a próxima postagem.

Um comentário:

Ana Lúcia disse...

Este blog é muito bom. Ele tráz reflexões sobre assuntos atuais, tráz notícias atuais do Vaticano, da Igreja Católica em todo o mundo e também sobre a Terra Santa; e tem vários links de vários sites católicos que eu nem sabia que existia.