Páginas

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Lider de movimento faz defesa da vida


Em 10 de dezembro, foi criada, no Congresso Nacional, a CPI do Aborto. A quem ele interessa, quem o financia, quem se beneficia com a legalização? Os interesses em jogo são especialmente por razões econômicas, políticas, demográficas e eugênicas.

O antinatalismo faz parte de uma estratégia de controle social, que há décadas pretende impor a prática do aborto nos países da América Latina, tornando-o um direito humano da mulher de matar um ser humano inocente e indefeso dentro do próprio ventre, por meio de substâncias salinas ou sucção, quebrando-lhe os ossos e privando-o do direito de nascer e ser acolhido como pessoa. Os organismos que estão trabalhando internacionalmente pela aprovação do aborto são as fundações que planejam e financiam as ações; e as organizações não-governamentais (ONGs) que as executam e promovem essa ações com recursos que permeiam valores exorbitantes.

Como exemplo dessa ação tática, podemos citar as fundações Ford, Rockfeller, MacArthur e a International Planned Parenthood Federation (IPPF), que têm filiais em quase 150 países, mas usam o nome para confundir principalmente os católicos. Além da Sociedade de Bem Estar Familiar no Brasil (Benfam), a International Pregnancy Advisory Services (Ipas) e várias outras, muitas delas usam as ONGs para seus fins utilitaristas, da forma mais pragmática. A ONG Católicas pelo Direito de Decidir é uma das mais ferrenhas defensoras da legalização do aborto, com pratrocínio vindo do exterior. As fundações internacionais traçam as estratégias e financiam os trabalhos a serem realizados pelas organizações locais, apesar de serem centenas no Brasil e milhares no estrangeiro; são organizadas estratégicamente em ma rede coesa e coordenada pelo financiamento das grandes fundações. Como secretário geral do Movimento Nacional em Defesa da Vida - Brasil Sem Aborto, afirmo que cabe à CPI do Aborto, no Brasil investigar a origem desses recursos que ingressam no país e os interesses que movem esses financiamentos.

Hermes Rodrigues Nery - São Bento do Sapucaí - SP


No texto não foi citado o nome de duas instituições e de um forte veículo de comunicação que cultivam a prática do aborto no Brasil, são elas: Igreja Universal do Reino de Deus; Instituto Ressoar e Rede Record de Televisão.

Na minha casa nenhuma dessas três instituições entram, pois tirei da minha tv a Record. Faça você também esse boicote em sinal de reúdio pela cultura de morte implantada na sociedade por este canal.

Nenhum comentário: